Apresentação e Reunião com a Comunidade do Pouso da Cajaíba

cartazpouso

APRESENTAÇÃO

PROJETO RAÍZES E FRUTOS

- Quem somos nós?
– O que fizemos nos últimos anos?
– Quais pesquisas realizamos?
– De onde vem nossos recursos e como devem ser gastos?

Sábado 8/11/2014

Cine Pipoca
19:30 – A Lenda de Oz (lançamento) – Aventura INFANTIL
20:30 – LUIS GONZAGA – De pai pra Filho – Adulto

Domingo 9/11/2014

10:30 – Apresentação e entrega dos trabalhos
– Oficina de Arte Reciclagem para crianças
– Distribuição dos Vídeos desenvolvidos
– Exposição de fotos do Pouso
– Lanche

15:00 – Reunião com a comunidade
Tema: QUAIS PROJETOS PODEMOS DESENVOLVER COM A COMUNIDADE DO POUSO?
Lanche

 Encontramos vocês lá.

Arrasto de Praia – Praia Grande da Cajaíba, Parati/RJ

Vídeo realizado pelo projeto Raízes e Frutos – UFRJ na Praia Grande da Cajaíba (2013).

Fotografia: Flavio Galvão, Clara Facuri e Fernanda Caiado

Som: Renata Saiuri

Edição: Flavio Galvão

Música: Ciranda de Paraty (Os Coroas Cirandeiros).

O vídeo realizado pelo projeto Raízes e Frutos – UFRJ, retrata o arrasto de praia na Praia Grande da Cajaíba, forma de pesca artesanal praticada pelos caiçaras locais.

Há mais de vinte anos os caiçaras locais vivem em conflito com grileiro de terras, e atualmente apenas duas famílias resistentes residem na praia.
Os caiçaras se deparam ainda com a possibilidade de implementação de um parque e lutam por uma RDS (Reserva de Desenvolvimento Sustentável), que respeite os direitos caiçaras de terem acesso aos recursos naturais do território.
O vídeo registra ainda algumas falas de Seu Altamiro, caiçara local, a respeito dos temas.

Vídeo

Lançamento da Campanha Preservar é Resistir em Ubatuba

Imagem

“Lançamento da Campanha Preservar é Resistir em Ubatuba.
O Fórum de Comunidades Tradicionais Indígenas, Quilombolas e Caiçaras de Angra dos Reis, Paraty e Ubatuba preocupado com a garantia dos territórios tradicionais para preservar os modos de vida dessas populações lança a Campanha “PRESERVAR É RESISTIR” – Em Defesa dos Territórios Tradicionais em Ubatuba (SP). No sábado, dia 28 de junho, dentro da programação da tradicional festa de São Pedro Pescador de Ubatuba, SP, o Fórum das Comunidades Tradicionais Indígenas, Quilombolas e Caiçaras de Angra dos Reis, Paraty e Ubatuba lança o vídeo “Preservar é Resistir”! junto com apresentações musicais e exposição de fotos criadas pelos comunitários desse pedaço da Mata Atlântica.

Lançamento da Campanha “PRESERVAR É RESISTIR” – Em Defesa dos Territórios Tradicionais.
Ubatuba (SP) dia 28 de junho, sábado, a partir das 17h30h, na praça de eventos da 91º Festa de São Pedro dos Pescadores de Ubatuba, SP, que acontece de 25 a 29 de junho.
Site da Festa de São Pedro dos Pescadores de Ubatuba, SP:http://fundart.com.br/festa-de-sao-pedro-2014/historia-da-festa/ “

Saiba mais sobre a Campanha no link a seguir: www.preservareresistir.org

 

Construindo a Escola da Praia de Martim de Sá

Imagem

“Ajude este sonho se tornar realidade!

Construindo a Escola da Praia de Martim de Sá.
Pelo direito à educação, pela permanência no território tradicional e pelo respeito e valorização da cultura caiçara!

As comunidades caiçaras de Martim de Sá, Saco das Anchovas e Cairuçu das Pedras, que são as mais isoladas e de difícil acesso da região, nunca tiveram escola, apesar das diversas tentativas dos moradores com abaixo-assinados, idas à prefeitura, etc. Por causa disso, muitas pessoas saíram de seus lugares a procura da escola para seus filhos, indo morar em bairros periféricos em Paraty ou em outra comunidade que possui escola. Entretanto, ainda existem pessoas que resistem a todas as dificuldades e permanecem lutando pelo seu território tradicional e pela cultura caiçara!

Atualmente, são 7 crianças/adolescentes em idade escolar que têm o sonho de estudar para com maiores conhecimentos poderem escolher o futuro que desejam, sendo protagonistas de suas próprias histórias.
Nós nos sensibilizamos com a causa e nos unimos a esse sonho!

Cerco de saberes: Construindo a Escola da Praia de Martim de Sá

A partir do final de junho até o final de julho, durante a Copa e nas nossas férias, estaremos Vanessa Marcondes (doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Psicossociologia de Comunidades e Ecologia Social – EICOS da UFRJ), Ricardo ‘Papu’ Martins Monge (doutorando do Programa de Pós-Graduação em Geografia da UFF) e Alice Yamasaki (Professora Doutora da Faculdade de Educação da UFF), entre outros colaboradores, voluntariamente, em Martim de Sá, para alfabetizarmos esses que tanto desejam adquirir o conhecimento sobre as letras, as palavras e o mundo!

Os moradores desses lugares desejam ter acesso à educação formal e que a escola se adeque à realidade local, valorizando também a cultura caiçara. Sem conhecer teorias pedagógicas, os caiçaras expressam que é possível promover uma educação que concilie os conhecimentos escolares com os trabalhos tradicionais caiçaras, como a roça, a pesca e mais atualmente o turismo.

Com esta iniciativa buscamos dar um pontapé inicial na construção de uma escola que seja pública, gratuita, de qualidade e que valorize e respeite a realidade local… uma educação diferenciada!

Venha ajudar a fazer um sonho realidade… ajude na alfabetização da criançada de Martim de Sá!

Estamos abertos a ajuda e colaboração daqueles que também acreditam no direito à educação para todos. Aceitamos doações de materiais diversos e contribuições em dinheiro para custear a logística. Quem quiser e/ou puder, entre em contato com escolaparamartimdesa@gmail.com.

Pelo direito à educação, pela permanência no território tradicional e pelo respeito e valorização da cultura caiçara!”

“Não vou sair do campo
Pra poder ir pra escola
Educação do campo
É direito e não esmola”

OFICINA DE BALAIO COM DOIS MESTRES da Reserva Ecológica da Juatinga na Praia Grande da Cajaíba

OFICINA DE BALAIO COM DOIS MESTRES da Reserva Ecológica da Juatinga na Praia Grande da Cajaíba

Está para acontecer um evento inédito na história da Reserva Ecológica da Juatinga! O encontro de 2 grandes mestres caiçaras da região que não se conhecem, irá se transformar em uma vivência inesquecível durante uma oficina de Balaio!

Seu Francino, de Cairuçú das Pedras, e
Dona Dica, da Praia Grande

Nos ensinarão o balaio, um artesanato típico da região, uma espécie de cesto que pode ser feito com cipó e bambu. O conhecimento dessa prática foi-se perdendo com o passar das gerações, buscamos com esse encontro valorizar o conhecimento desses dois mestres, e propagar esse conhecimento para outras pessoas, para que ele não se perca pelo tempo.

Durante 4 dias de contato direto com uma esplendorosa natureza, aprenderemos todos os processos para a feitura do balaio, além da enriquecedora troca de conhecimento com dois mestres caiçaras da região.

O barco sairá do Cais dos Pescadores, que fica na Ilha das Cobras, Paraty – RJ, na quinta-feira, 25, as 14h.
À noite faremos uma roda de apresentações.
As oficinas acontecerão na sexta, no sábado e no domingo de manhã.
Domingo, 28, por volta das 15h, será o retorno para Paraty.

- LOCAL: Casa da Dona Dica. Praia Grande da Cajaíba. Reserva Ecológica da Juatinga (REJ). Paraty. RJ
– QUANDO: de 25 a 28 de Julho (quinta à domingo).
– QUANTO: R$ 200. incluindo ( barco + alimentação + estadia + oficineiro)
– CONTATOS:
Thúlio Monteiro – cel 021 8892 3718
– INSCRIÇÕES pelo e-mail: tmm.thulio@gmail.com

LINK DO EVENTO NO FACEBOOK: https://www.facebook.com/events/614093495291975/

Para quem não sabe como é o balaio, é esse cestinho de cipó e bambu da foto a cima e aqui vai um vídeo gravado por crianças durante uma oficina de balaio com a Dona Dica, no Pouso da Cajaíba, em 2011

O trabalho “Raízes e Frutos no Pouso da Cajaíba: a Construção de uma instituição local e a Relação com a Extensão” apresentado no Congresso de Extensão da UFRJ ganha título de menção honrosa.

Link para a apresentação: http://raizesefrutos.files.wordpress.com/2012/12/congresso-de-extensc3a3o-2012-ii2.ppt

Resumo:

O projeto Raízes e Frutos atua desde 2007 com comunidades caiçaras da Reserva Ecológica da Juatinga, Paraty (RJ).
No Pouso da Cajaíba iniciou seu trabalho através do contato com o morador “Ticoti”, então presidente da associação dos moradores. Firmou-se uma importante relação que contribuiu para a atuação do projeto e para a formação de uma liderança política local.

Uma das bases do Raízes e Frutos refere-se à Permacultura. Esta “disciplina” se constitui a partir de perspectivas de diversas áreas do conhecimento, dentre as quais, a ecologia, a arquitetura, a agricultura, e de saberes de sociedades tradicionais, com o objetivo de proporcionar a subsistência das populações com baixo impacto ambiental.

Por intermédio do projeto de extensão o caiçara “Ticoti” participou de cursos de Permacultura, o que possibilitou um aprendizado acerca dos seus princípios e suas técnicas e também a conscientização acerca da importância de sua cultura.
Em uma de suas falas ele diz: “nasci em casa de estuque e sapê. Isso pra mim era coisa pobre, miserável. Depois começando a ter conhecimento vi que hoje tem gente do mundo inteiro que paga muito para aprender a fazer. Eu sei fazer, só que não dava valor aquela sabedoria. Era coisa pobre”.

Em 2010, “Ticoti” decidiu criar em sua casa um instituto de Permacultura, o Instituto de Permacultura Caiçara (IPECA). Seu objetivo é criar um centro de aplicação e experimentação dos princípios e técnicas de Permacultura. Além de contribuir para a valorização de sua cultura, o instituto pretende empreender ações de conservação ambiental.
Atualmente, vem elaborando um projeto de saneamento ecológico para o Pouso da Cajaíba. O IPECA revela-se, portanto, como um importante agente local que pretende construir projetos de desenvolvimento para o Pouso da Cajaíba. O Raízes e Frutos é um dos seus colaboradores; atuou em sua construção e, hoje, contribui para a realização cursos e oficinas.

No entanto, é necessário refletir e debater algumas questões: que tipo de relação deve ser firmada entre o projeto de extensão e essa instituição? Como ampliar a participação da comunidade na construção de tais e iniciativas?

Contato: evaristo.cjr@uol.com.br

Apoio: Edital 01/2012 – PIBEX / UFRJ

Lá e Cá

Curta-metragem documentário de projeto experimental para graduação em Cinema (UFF/RJ).

(doc, dv, cor/pb, 21′, 2007)

Pesquisa, Roteiro, Direção e Edição: Clarissa Guarilha
Pesquisa e Assistente de Direção: Tainá Miê
Fotografia e Câmera: Vladimir Mancaro
Som Direto: Luis Guilherme Guerreiro
Produção: Lara Frigotto
Assistente de Fotografia: Ana Alice de Moraes
Videografismo: Clarissa Pivetta
Imagens de Arquivo: Martin Sirolli
Produção: UFF/Arissas Multimídia
Apoio: Verde Cidadania

Sinopse: Sofrendo as consequências da especulação imobiliária e da grilagem de terras, caiçaras da Praia Grande da Cajaíba foram obrigados a deixar sua terra nativa para viver na periferia da cidade de Paraty, no Rio de Janeiro. A diretora vai ao encontro dos ex-moradores e dos que ainda lutam para sobreviver na praia.

Dezembro/2007

 

Entradas Mais Antigas Anteriores

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.